NOTÍCIAS

Intolerância ao glúten: o que isso significa?


Você já sentiu desconforto intestinal várias vezes ao dia e não descobriu o problema? Ele pode estar mais perto do que você imagina, como no seu café da manhã, no lanche da tarde e até no bar com os amigos.   Isso porque alimentos feitos com cereais como o trigo, cevada, centeio, aveia e malte contém uma proteína chamada glúten, que quando ingerido por aqueles que são intolerantes a essa substância, pode estimular a produção de anticorpos, que danificam a parede do intestino, dificultando a capacidade do corpo em absorver nutrientes importantes.

Também conhecida como Doença Celíaca, a intolerância ao glúten pode resultar em casos de diarreia, dor e distensão abdominal, por exemplo. Sua manifestação varia e pode surgir em qualquer idade, geralmente ocorrendo na infância.  Além disso, sua intensidade pode variar de pessoa para pessoa, de acordo com o grau em que a mucosa intestinal é danificada.        

 O principal tratamento para pessoas que temintolerância ao glúten está na dieta, excluindo a proteína do seu cardápio. Isso pode não ser uma tarefa fácil, afinal de contas não é fácil deixar de lado o pãozinho no café da manhã ou comer uma bela macarronada de domingo. Mas para te ajudar, a Taeq montou um cardápio que pode ajudar nas suas escolhas no dia a dia. Mas lembre-se, antes de adotar uma dieta isenta ao glúten procure um médico para que ele possa realizar o diagnóstico da doença. 

 

Café da manhã: 1 copo de leite desnatado, 1 unidade de pão sem glúten, 1 colher de sobremesa de creme vegetal e 1 banana.   

Lanche da manhã: 1 maçã 

Almoço: 1 colher de servir de arroz integral 1 peito de frango 1 prato de salada de alface com rúcula 2 colheres de sopa de abobrinha;

Lanche da tarde: Iogurte desnatado com mel  

Jantar: 1 colher de servir de couve refogada, 1 colher de servir de cenoura cozida, 1 prato de salada de alface americana, 1 bife contrafilé grelhado.

 Ceia: 1 copo de leite desnatado.

Fonte: Taeq