NOTÍCIAS

Proteja toda a família de picadas de insetos e suas doenças


Os pequenos, por serem mais curiosos de novas descobertas e gostarem de brincar ao ar livre no verão, estão mais expostos a picadas de insetos do que adultos. Por isso, não é bobagem se precaver das doenças transmitidas pelos bichinhos e das reações no corpo das crianças causadas pelo contato e pelas picadas. Lagartas, aranhas, mariposas, mosquitos, pernilongos e pulgas podem trazer males indesejados. Para lidar com eles, quanto menos contato, melhor.

 

 

"No verão, as crianças apresentam uma área grande da superfície corporal não coberta pelas roupas, o que aumenta a chance de contrair doenças causadas por insetos", explica a pediatra e dermatologista Kerstin Taniguchi, presidente do Departamento Científico de Dermatologia da Sociedade Brasileira de Pediatria. Além disso, a estação é a época de reprodução, o que faz aumentar a quantidade de insetos nas cidades. 

 

As reações mais comuns às picadas na infância são as agudas, causadas por insetos que sugam o sangue, como pernilongos, pulgas e mosquitos. Seus sintomas são bolinhas, bolhas ou áreas maiores inchadas na pele. Também existem as reações alérgicas, quando aparecem várias lesões, mesmo após uma única picada, e a sensação de coceira. Segundo o alergista Fábio Morato Castro, vice-presidente da Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia (ASBAI), esse grupo de picadas não apresenta risco maior à saúde. "Se a criança estiver se sentindo muito incomodada, os pais podem procurar um especialista, que vai indicar um antialérgico para combater a coceira e um corticóide, em caso de inflamação", sugere. 

 

O único risco dessas picadas é a criança coçar, com a unha suja, e infeccionar o local. Por isso, aquele tradicional recado é verdadeiro: cuide para o pequeno não tocar demais na ferida e mantenha o hábito de lavar as mãos. Um outro grupo de picadas, causadas pelo veneno de abelhas, vespas e formigas, também pode ser perigoso. A mordida ou o simples contato desses insetos pode causar as chamadas reações anafiláticas, que envolvem um quadro de dificuldade respiratória. Nesses casos, é indicado procurar atendimento médico o quanto antes. "Os tratamentos são extremamente eficazes, se a criança for atendida no tempo certo", afirma o alergista. 

 

Já as doenças transmitidas por insetos, como dengue, malária, febre amarela e doença de Chagas, ocorrem somente em determinadas regiões ou em períodos de epidemia. Nesses casos, observa-se febre, mal estar, dores no corpo, pele amarelada e sangramentos. Em caso de viagem a lugares de risco, existem vacinas específicas para cada doença, que serão receitadas pelo médico.

 

 

Para proteger a família de reações a picadas e doenças, o mais importante é evitar o contato com insetos. "Fechar a casa cedo, usar mosqueteiras e telas e aplicar repelentes, sempre seguindo as recomendações da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Anvisa", sugere a pediatra. Também é indicado evitar o acúmulo de água em vasos e materiais deixados nos jardins e nos terrenos, além de manter a casa sempre limpa.