NOTÍCIAS

Samsung revela pulseira que monitora a saúde na nuvem


San Francisco - A Samsung Electronics revelou o protótipo de uma pulseira que monitora a saúde com conexão a um serviço na nuvem, o que possibilitaria que os clientes compartilhem suas estatísticas com desenvolvedores de novos aplicativos móveis de atividades físicas.

A empresa apresentou o aparelho chamado Simband, que pode medir indicadores de saúde como o ritmo cardíaco e a pressão sanguínea, em um evento que ocorreu ontem em São Francisco.
 
A plataforma de dados baseada na internet foi projetada para estimular o bem-estar dos consumidores e criar uma fonte de informações para pesquisadores da área de saúde digital, disse a empresa com sede em Suwon, Coreia do Sul.
 
“Este é o início do nosso caminho, o começo da nossa plataforma”, disse Young Sohn, presidente e diretor de estratégias da área de soluções de dispositivos da Samsung.
 
“Precisamos é de uma comunidade de desenvolvedores e players de tecnologia inovadora que trabalhem conosco”.
 
A Samsung, líder no mercado de smartphones que está amadurecendo, agora quer ampliar sua tecnologia para aparelhos de vestir e está correndo para garantir sua participação em outras áreas novas da tecnologia, como a saúde digital.
 
As vendas mundiais de relógios inteligentes, óculos e produtos médicos equivaleram a quase US$ 10 bilhões no ano passado e devem triplicar até 2018, de acordo com a empresa de pesquisas IHS.
 
A plataforma de hardware da pulseira seria aberta para que outros desenvolvedores possam criar seus próprios produtos, do mesmo modo que a fabricante de chips Intel e a fabricante de software Microsoft ofereceram componentes para empresas como a Hewlett-Packard e a Dell na indústria dos computadores pessoais.
 
A empresa pretende criar um fundo de US$ 50 milhões para financiar os desenvolvimentos realizados por terceiros para o aparelho.
 
Regimes de exercícios
 
Em relação ao software, um serviço de dados na nuvem chamado Samsung Architecture for Multimodal Interactions seria um repositório para as informações que os consumidores escolherem compartilhar com os desenvolvedores de aplicativos móveis, que poderiam oferecer um software que recomende regimes de exercícios ou dietas, entre outras coisas.
 
As ações da subiram 1,9 por cento para 1.460.000 wons em Seul e ganharam 6,4 por cento neste ano, frente ao índice Kospi de referência, que se manteve inalterado.
 
Os pesquisadores estavam entusiasmados com a riqueza dos dados que os aparelhos que monitoram a saúde ou as atividades físicas poderão coletar a partir de grandes grupos de usuários, embora essas iniciativas tenham sido dificultadas pela falta de desenvolvimento comum e pelas preocupações sobre a segurança e o compartilhamento de informações pessoais.
 
A pulseira Galaxy Gear Fit e o relógio inteligente Galaxy Gear da Samsung possibilitam que os consumidores meçam rotinas de exercícios e monitorem alguns indicadores de saúde apenas como acessórios para os smartphones e tablets da empresa.
 
O produto protótipo também seria o primeiro aparelho de vestir de saúde a ter uma bateria de encaixar que possibilita o uso contínuo.
 
A Samsung não revelou muitas informações sobre o preço da Simband ou seu prazo de disponibilidade para os fabricantes.
 
O protótipo possui um processador dual core da ARM Holdings Plc, Wi-Fi e Bluetooth para estabelecer conexões e compartilhar dados com outros aparelhos. A empresa também não informou um prazo para o lançamento do serviço na nuvem.
 
Segundo a empresa, será aberto um programa de teste e oferecidos kits de desenvolvimento de software a desenvolvedores externos até o fim deste ano.
 
Fonte: Exame