NOTÍCIAS

Videomonitoramento aprimora atendimento em hospitais infantis


Câmeras de videomonitoramento digital têm sido utilizadas para aprimorar a segurança dos pacientes em maternidades e hospitais infantis. A tecnologia viabiliza o acompanhamento do bebê tanto pela equipe multidisciplinar do hospital quanto pelos pais por meio da internet em tempo real.
 
Uma das referências no uso de videomonitoramento é o complexo CentraCare, em Minnesota, Estados Unidos. Composto por quatro hospitais, quatro centros de cuidados de longo prazo e mais de dez clínicas, o grupo instalou câmeras na maternidade infantil para monitorar os pacientes em cores, mesmo no período da noite, que tem pouca iluminação.
 
Para aproximar mães e recém-nascidos, o centro médico Alès-Cévennes, no Sul da França, passou a utilizar, desde 2006, câmeras full HD na sala neonatal. Com isso, as mães podem acompanhar os bebês online ao vivo desde as primeiras horas pós-parto.
 
“Graças a essa tela, pude ver o rosto do meu bebê e ver que ela estava bem e se mexendo. Isso me deu muita tranquilidade”, disse uma das mães de um bebê que apresentou dificuldades respiratórias ao nascer no Alès-Cévennes.
 
Depois de um ano, testes realizados na enfermaria infantil mostraram que as mulheres que veem os filhos através de uma tela produzem mais leite do que as que não o assistem. De acordo com o engenheiro de vendas da Axis Communications, Philippe Bénard, o sistema poderá sofrer o acréscimo de uma funcionalidade de voz para permitir às mães falarem e cantarem para os bebês.
 
No centro médico da Universidade VU, em Amsterdã, na Holanda, assim que um recém-nascido é registrado, uma câmera IP se volta para o leito e os pais recebem uma senha para acessar as imagens online. A equipe de enfermagem também tem acesso às imagens ao vivo. Quando a criança é retirada para outros cuidados, em vez de exibir a imagem do leito vazio, aparece na tela a mensagem “Estamos cuidando do seu bebê”.
 
Segundo comunicado divulgado, o projeto não aumentou a quantidade de ligações de pais preocupados ao verem pela internet seus filhos chorando. “Ao contrário, percebemos um alto nível de satisfação por parte dos pais, que ficam tranquilos com as imagens. O serviço é bastante apreciado”, explicou a líder da equipe de Neonatologia do centro médico, Margot van Elburg, em nota.
 
O Hospital Infantil e Maternidade de Xiamen, na China, é outro exemplo de instituição que modernizou seu sistema de videomonitoramento com a instalação de 240 câmeras IP ao longo de seus três andares e agora conta com um centro de controle dotado de 22 estações de trabalho para monitorar e fazer a gestão de incidentes em tempo real. As mesmas imagens podem ser acessadas nas estações de enfermagem.
 
“Estamos percebendo o surgimento de projetos muito inovadores de videomonitoramento em maternidades, enfermarias infantis e hospitais para crianças espalhados pelo mundo”, diz Andrei Junqueira, gerente de Novos Negócios para a América do Sul da Axis Communications, criadora da câmera IP. Segundo o executivo, os benefícios do vídeo em rede deverão impulsionar a migração de sistemas analógicos para digitais também em hospitais da região latino-americana.
 
Fonte: Saúde Web